Veja a evolução das pranchas de Surf!

Veja a evolução das pranchas de Surf!

Dezembro 7, 2018 0 Por JuniorDuarte

Surf, o saudável duelo do ser humano com o mar. Que não seria possível sem a grande estrela entre eles: a prancha.

Hoje em dia olhamos para uma prancha de surf com grande admiração por sua leveza, suas curvas cuidadosamente criadas, a qualidade de acabamento e formatos a cada dia mais hidrodinâmicos – a capacidade de atacar as ondas da forma mais natural e com o menor esforço para o surfista.

Mas nem sempre foi assim. As pranchas de surf são mais uma grande vítima na evolução da forma de produzir, de agregar tecnologias e materiais e tornar os produtos mais eficientes.

Vamos falar um pouco da evolução das pranchas de surf.

O começo de tudo nas pranchas de surf

As primeiras pranchas de surf surgiram no Havaí e eram algo completamente impensável para os dias de hoje: fabricadas com madeira vermelha maciça (um verdadeiro atentado ao meio ambiente), pesavam em torno de 80 quilos e mediam 4 metros de comprimento.

Podemos imaginar o esforço que os surfistas precisavam fazer para manobrar pranchas deste tipo, que podiam no máximo nadar reto ou seguir a parede da onda. E não possuíam quilhas, então o surfista precisava manobrar a direção com os pés na água.

Tom Blake, o primeiro revolucionário das pranchas de surf

Tom Blake, um designer de pranchas e surfista, em meados do século 30, criou um estabilizador colocado na parte inferior da prancha que garantia estabilidade direcional, a partir da observação das quilhas em barcos a vela. Ali estaria nascendo o conceito que décadas depois faria surgir as quilhas como conhecemos.

Ele também investiu em pranchas ocas, tornando-as mais leves. Sem dúvidas, foram dois marcos para que as pranchas de surf se tornassem mais atraentes e crescesse ainda mais o número de praticantes.

Preston, Simmons e a prancha de fibra de vidro

A fibra de vidro foi um material desenvolvido durante a Segunda Guerra Mundial, e as pranchas se beneficiaram muito deste material.

Em 1945 Preston Pete construiu a primeira prancha de fibra de vidro, rompendo a tradição da madeira pesada. O projeto não durou muito por alguns motivos, entre eles – e or muitos apontado como o principal – de que os Estados Unidos temiam que a União Soviética tivesse acesso ao projeto da fibra de vidro – e ela era largamente usada na construção de armas de guerra.

Porém, em 1949 Bob Simmons retomou o projeto e produziu uma prancha com fibra de vidro ele, fazendo com o que o surf se popularizasse na Califórnia

Década de 60 e a segunda revolução nas pranchas de surf

Neste décadas surgem as grandes mudanças na forma de produzir as pranchas de surf e de praticar o esporte.

A principal delas é o uso do poliuretano na fabricação. As pranchas de tornavam pequenas e mais leves, além de ganhar mais algumas sofisticações no desenho.

O australiano Bob McTavish criou as pranchas pequenas, o que faz com que o surf ganhe velocidade e manobras mais radicais. Dick Brewer criou as pranchas especiais para ondas grandes.

No final dos anos 60, surgem as quilhas, inspiradas nas barbatanas de peixes rápidos, mais espessas na frente. Logo em seguida são criadas as pranchas pontiagudas e menos largas.

E a evolução não para!

Em meados dos ano 70 surge a prancha com duas quilhas, ainda mais rápida e radical e logo se torna um sucesso mundial.

O surf só cresce em número de praticantes e se profissionaliza cada vez mais. Em 1981 o australiano Simon Anderon cria a prancha de surf triquilha, que permite o uso nas ondas tubulares, que ainda não tinha sido alcançado com as de duas quilhas.

Hoje em dia as pranchas triquilhas são o padrão de uso praticamente todos os surfistas no mundo.

 

Gostou desse artigo? Então veja aqui a melhor prancha de surf dos últimos tempos.